• Rodolfo Oliveira

PARE TUDO! Se você se sente desvalorizado como profissional leia esse texto!

Atualizado: Mar 19



Raiva. Frustração. Depressão. Indignação. Vontade de ir embora do Brasil (afinal, o problema é da crise, do governo, do coronavírus, ou do cliente que só faz você perder tempo e nunca fecha negócio). Bem, tudo isso é verdade! Realmente existe um momento desafiador nas vidas das pessoas de todo o mundo. Eu mesmo tinha um workshop agendado para o dia 24/03 que foi cancelado. Sou humano assim como você.

Mas o que eu quero perguntar é: como você tem reagido às adversidades? O que tem feito em seguida após receber uma notícia indesejada? De verdade! Se faça essa pergunta e seja totalmente honesto consigo mesmo.

O principal motivo para eu te perguntar isso é para te alertar sobre algo silencioso, mas perigoso. Capaz de destruir os seus resultados, de afetar drasticamente a sua motivação e fazer você desistir: A VITIMIZAÇÃO.

Por favor não se ofenda. Todos as causas de um provável momento ruim que você está vivendo são genuínas.

O que eu quero te mostrar é uma ferramenta extraordinária que pode mudar sua vida pessoal e profissional. E se você se sente desvalorizado como profissional, essa ferramenta pode te ajudar a encontrar respostas capazes de transformar seus resultados. Limpe a sua mente para isso, ok?

Ela se chama AUTO-RESPONSABILIDADE. A auto-responsabilidade é a consciência de que todo e qualquer resultado na sua vida pessoal e profissional (seja bom ou ruim) é RESPONSABILIDADE sua (delete a palavra “culpa” da sua vida). Um dos seus princípios é o 10/90, e diz que 10% dos acontecimentos na sua vida é aquilo que você não controla (crise, desemprego, violência, traição, um pneu furado ou o coronavírus) e 90% é COMO você reage a tudo isso. Ou seja, você não escolheu passar por uma crise (10%), mas a decisão de se reinventar e passar por esse momento como alguém que assume a posição de aprendiz para fazer algo diferente OU de ser alguém que acha que é função do governo gerar novas oportunidades (verdade) e simplesmente espera, de braços cruzados, as coisas normalizarem é totalmente sua (90%). Você pode dizer: Ah! Mas eu não sei o que fazer! E eu respondo: e se soubesse, o que seria? (Ãhn???) Com essa pergunta eu quero dizer que se você não sabe (ou prefere não pensar nisso, porque é mais fácil reclamar) quem vai saber? Com certeza deve ter alguém da sua área se dando bem. Pesquise. Descubra. Saiba o que ele(a) está fazendo para gerar resultados satisfatórios. Mudar dói! Sair da zona de conforto dói! Pensar no “diferente” dá trabalho! Mas dói muito mais não atingir seus objetivos, concorda?

E me arrisco a dizer que a maioria das pessoas só mudam quando não suportam mais a sua situação atual, porque chegam à conclusão de que o incômodo necessário para mudar é menos dolorido (e temporário) do que a dor de permanecer onde estão hoje. Ou seja, enquanto você estiver “meio que….”. “Meio que” pagando as contas, “meio que” conseguindo novos negócios, “meio que” vivendo em harmonia com seu cônjuge, “meio que” não brigando tanto com sua família, você dificilmente escolherá sair da zona de conforto e buscar resultados extraordinários. Provavelmente algo precisará acontecer para que a dor da situação atual seja grande o suficiente para que a pessoa se mexa e busque evoluir.

Então te convido a usar a auto-responsabilidade para entender que você tem o PODER de ESCOLHER ter o resultado que você quiser. Como? Aprenda! Tudo o que acontecer de indesejado na sua vida traz um aprendizado. Se coloque como agente transformador e não como alguém passivo que não tem controle das coisas. Se pergunte sempre o que você pode fazer para melhorar nem que seja 1% da situação. Se pergunte o que poderia ter feito de diferente. Se pergunte o que poderia ter feito de mais produtivo. Se pergunte o que NÃO deveria ter feito. Se pergunte o que você deve aprender para atingir um resultado. Resumindo, se pergunte o que está no SEU CONTROLE!!!!

Todas essas respostas trazem aprendizados que vão contribuir para a sua evolução e, principalmente, poderão te mostrar as respostas que você busca.

Não se culpe ou culpe os outros. A culpa só traz coisas negativas e destrutivas, não gera aprendizado e nem o direciona para um futuro promissor. Ela apenas gera rancor, raiva e frustração. Quando você gasta energia se culpando ou culpando os outros, você “esquece” de gerar aprendizados importantes que poderiam mudar a sua vida.

Assumir o CONTROLE das decisões e ações da sua vida, é construir a BOA SORTE! Não é aquela sorte que você tem quando anda na rua e encontra uma nota de R$ 100,00 no chão, mas a sorte que é o resultado da soma de PREPARAÇÃO + OPORTUNIDADE. Ou seja, você faz o que está no seu controle (preparação) para quando a oportunidade aparecer você estar pronto para colher excelentes resultados. Por exemplo, um profissional que estuda inglês para quando houver uma oportunidade de trabalho fora do país, tem muitos mais chances de conseguir o emprego do que outro que resolve aprender depois que sabe da existência da oportunidade, concorda? É algo simples, mas que só os que se destacam fazem. Então, quem você escolhe ser? O aprendiz que constrói a sua realidade ou a vítima que espera os outros resolverem a sua vida?

Pense nisso!

Coragem!

Você pode!

Você consegue!

Você merece!

Abraços.

18 visualizações
 

©2019 by Rodolfo Oliveira